Baía San Sebastian e Cabo Buen Suceso, Terra do Fogo. 16 a 31 de dezembro de 1832

Local 16

Primeiro contato com os fueguinos

No dia 16 de dezembro, a tripulação do Beagle avistou sinais de fumaça perto da Baía de San Sebastián. Eram os nativos da Terra do Fogo, conhecidos como fueguinos, que costumavam acender fogueiras quando avistavam navios. Como as condições do mar nessa região podem demandar cuidado devido à força dos ventos e ao tamanho das ondas, a tripulação do Beagle navegou pela costa da ilha dos Estados, contornou San Diego no estreito de La Maire e, finalmente, escolheu um porto seguro para ancorar: a baía Buen Suceso, que havia sido frequentada pelo capitão inglês James Cook.

No dia seguinte, a fim de tentar alguma comunicação com os fueguinos, um grupo de oficiais e Darwin desembarcaram na praia. Foi a primeira vez que Darwin entrou em contato com esse povo. Nunca havia visto homens tão primitivos. Passaram alguns dias encontrando com os nativos e conseguiram estabelecer uma relação amistosa.

Dia 21, aproveitando os raros ventos de leste, o Beagle zarpou, dobrando o cabo Buen Suceso. Dia 24, alcançaram as ilhas Hermit, ancorando na tranquila angra Wigwan. Aproveitando o bom tempo e a liberação das atividades por conta do Natal, Charles e alguns companheiros escalaram até o cume do Pico Katers (500 metros). Por causa do mal tempo, comum nessa região, o Beagle foi forçado a permanecer ancorado até o dia 31.

Escrito no período

Assim descreveu FitzRoy a chegada do Beagle na Terra do Fogo:

À medida que navegávamos na baía Buen Suceso, um berro fueguino ecoou nas arborizadas colinas; e sucederam-se gritos lançados por um grupo de nativos postados em uma elevação, ao norte da baía, onde se viam peles sacudidas ao ar acenando para nós com extrema disposição. Ao verem que não os havíamos notado, acenderam uma fogueira que instantaneamente produziu grande volume de fumaça branca e espessa. Muitas vezes me espantei com a rapidez com que os fueguinos produzem esse efeito (que para eles é um sinal) neste clima úmido, onde às vezes passei mais de duas horas tentando acende um fogo.

Sobre a chegada à Terra do Fogo, Darwin escreveu no seu diário no dia 16 de dezembro de 1832:

Cabotamos a costa da Terra do Fogo um pouco ao Sul do cabo de São Sebastião e então, alterando nosso curso, corremos a algumas milhas da costa. O Beagle nunca havia visitado estas partes, de modo que era tudo muito novo para todos. Nossa ignorância a respeito de morarem aqui nativos foi logo desfeita pelo usual sinal de uma fumaça e, breve, com auxílio de lunetas, pudemos ver um grupo e alguns índios isolados evidentemente observando com interesse o navio. Devem ter acendido as fogueiras imediatamente ao avistarem a embarcação mas, se o fizeram com o propósito de comunicar a notícia ou de atrair nossa atenção, nós não sabemos. A brisa estava fresca e percorremos 50 milhas de costa antes de ancorarmos para a noite.

A terra não é alta, e sim formada de estratos horizontais de alguma rocha moderna, que na maior parte dos pontos forma falésias que encaram o mar. Ela é também cortada por muitos vales ascendentes, que são cobertos de grama e polvilhados de arbustos e árvores, de modo a apresentar uma aparência alegre. O céu estava sombrio e a atmosfera, nada limpa, caso contrário teriam sido belas as vistas em alguns lugares. A uma grande distância, ao Sul, estava uma cadeia de altas montanhas, cujos picos brilhavam nevados. Estamos ancorados ao Sul do promontório de São Paulo.

No dia seguinte, ele descreveu o passeio na ilha:

Sendo dia de Natal, suspendeu-se toda a lida; os marujos esperam um grande dia de gala e, por essa razão, permanecemos ancorados. A angra Wigwam é uma ilha das Hermits; seu local é sinalizado pelo pico Katers, uma íngreme montanha cônica de 1. 770 pés de altitude que surge ao lado da baía que contempla. Sullivan, Hamond e eu partimos depois do desjejum para escalá-la. Os flancos eram muito íngremes de modo a tornar muito fatigante a escalada e certas partes eram densamente cobertas de faia antártica. Do pico, podia-se ter uma boa ideia geográfica das ilhas circunstantes e do distante continente. Essas ilhas pareceriam ser o fim da cordilheira dos Andes, com seus topos somente um pouco acima do oceano.

Enquanto observávamos essa inóspita região, mal podíamos dar crédito à ideia de que o homem exista aqui. Em nosso retorno a bordo, disseram-nos que fôramos vistos do navio, o que sabíamos ser impossível, pois o Beagle está ancorado na boca do porto e logo abaixo de um pico alto, que fica na frente do Katers. Como era certo que alguns homens foram vistos rastejando sobre as pedras desta colina, eles deveriam ser fueguinos. De onde eles estavam, todos nossos grupos eram visíveis. E quais não devem ter sido suas sensações de espanto, pois toda a angra Wigwam ressoava com as armas disparadas nas cavernas contra as aves selvagens; gritávamos também nós três em busca de eu impetuosamente martelava as rochas com minhas ferramentas geológicas. Devem ter pensado que éramos as forças das trevas; ou, por qualquer outra razão, o medo os manteve ocultados.

Você sabia?

  • Que a chegada do Beagle um pouco ao Sul da baía de San Sebastián, dia 16 de dezembro de 1832, foi assinalada pela fumaça das fogueiras acesas pelos nativos? O capitão FitzRoy ficou sem saber se este sinal foi para saudá-los ou para alertar os outros nativos de que haviam pessoas estranhas no local.
  • Que Magalhães deu esse nome à Terra do Fogo por causa das fogueiras dos nativos?
  • Que o clima no sul do continente americano é caracterizado por condições inóspitas com baixas temperaturas, ventos fortes, tempestades e mar agitado durante todo o ano? Na época das navegações era habitual as embarcações naufragarem devido as condições de tempo. Tempestades com rajadas de ventos fortes e granizo também são habituais nesta região.
  • Que no primeiro contato com os fueguinos, Darwin relata que o grupo aparentava estar alarmado com a presença dos ingleses, gesticulando e falando com rapidez entre eles?
  • Que Darwin, ao se reportar aos fueguinos, os designava como homens selvagens? Ele se impressionou com a maneira como se vestiam com uma grande pele de guanaco, ficando um ombro e uma perna nus. Charles se espantou que usassem esses trajes num local de clima frio.
  • Que os fueguinos tinham como moradia alguns arbustos próximos a um aglomerado de pedras? A mata impenetrável do lugar obrigava os nativos a se abrigarem em grandes pedras próximas à praia. Darwin ficou surpreso com esse tipo de residência, pois era ineficaz para isolá-los do vento, da chuva e do granizo, comuns no verão da região.
  • Que a dieta alimentar dos fueguinos era à base de lapas, mexilhões, focas, aves e ocasionalmente guanaco? Darwin considerou essa alimentação miserável, pois era limitada pela coleta dos alimentos na maré baixa.
  • Que Charles descreve a língua dos fueguinos como pouco articulada? Os nativos, ao se comunicarem entre si, produziam ruídos peculiares e gestuais bastante primitivos. Ao tentarem se comunicar com os ingleses, os fueguinos os imitavam, assim alguns oficiais se divertiam fazendo caretas para os nativos.
  • Que os fueguinos conheciam as armas de fogo e demonstravam temor diante delas? Os nativos confeccionavam arcos, flechas e lanças para se protegerem e caçarem animais para suas refeições.
  • Que Darwin ficou impressionado com a diferença entre os homens selvagens e os homens civilizados? A diferença entre uma animal selvagem e outro domesticado é menor que entre os homens. Ele acreditava que o homem tem maior capacidade de melhorar.

Galeria