Baía Blanca - Buenos Aires - Santa Fé (Paraná), Argentina. 1 de setembro a 02 de novembro de 1833

Local 23

Mais de mil quilômetros cavalgando em terras argentinas e Conrad Martens a bordo do Beagle!

Em 8 de setembro, com um bom guia e o passe enviado pelo general Rosas para utilizar os cavalos das postas, Darwin parte da Baía Blanca para uma viagem de 640 km rumo a Buenos Aires. Concebida estrategicamente pelo general, as postas tinham cinco homens e uma pequena tropa de cavalos descansados. Elas ficavam dispostas em linha reta em longos intervalos de forma a agilizar a troca de correspondências entre o quartel general e a província de Buenos Aires. Trocando de cavalos de posta em posta, Darwin pode explorar o território argentino nesse período conturbado. Cavalgou pelas barrancas do Sauce, foi a Sierra de la Ventana – uma montanha com quatro picos usada como refúgio dos indígenas, e voltou a Sauce. A medida que percorria a região, também recebia as notícias dos conflitos locais. Aproveitou momentos de espera para pesquisar a geologia, observar pássaros e se encantou com a habilidade dos gaúchos com as rodopiantes boleadeiras. Passaram por vinte postas até avistarem gado em abundância, cavalos e carneiros pastando pelas planícies, chegando à capital no dia 20. Lá ficou hospedado na casa do comerciante inglês, Edward Lumb, que lhe ajudou a organizar e embarcar para Inglaterra os espécimes fósseis coletados.

Aproveitou para descansar, preparar os detalhes para uma nova expedição e escrever para FitzRoy perguntando sobre seus planos. Ao receber a resposta à sua carta, mais tarde, ficou sabendo que o sucessor de Earle - o artista que estava adoentado - já havia embarcado no Beagle, o Sr. Conrad Martens. Darwin partiu dia 27 rumo ao norte, para Santa Fé, numa cavalgada de mais de 480 Km. Chegou à província de Santa Fé, no dia 02 de outubro, delimitada pelo rio Paraná ao leste e pela província de Córdoba à oeste. Explorou bastante a região e, finalmente, dia 12 de outubro embarcou em uma “Balandra” - uma embarcação de um mastro e de 100 toneladas – e navegou pelo rio Paraná rumo a Buenos Aires. Depois de passar por várias cidades e trocar de embarcação mais três vezes enfrentando diversos contratempos, chegou na tumultuada capital. Embarcou para Montevidéu em 2 de novembro, numa viagem que durou dois dias. Ao chegar lá, retornou a bordo do Beagle.

Galeria